Concurso Exército 2014 tem 98 vagas abertas




Prestar concurso público é algo bastante comum em todas as regiões do Brasil, haja vista a grande quantidade de oportunidades que são oferecidas por meio desta modalidade de ofertas de emprego. Por esses e outros motivos o concurso público se tornou tão importante em todo o país. Tamanha a importância dos concursos públicos é também através deles que é possível ingressar no Exército Brasileiro, por exemplo.

Para aqueles que desejam ingressar nas forças armadas e desejam se especializar na área das Engenharias, saibam que você possui uma boa oportunidade a sua disposição. Trata-se do certame que foi tornado público pelo Comando do Exército Brasileiro que visa ao preenchimento de 98 vagas para os Cursos de Formação e Graduação de Oficiais. É importante destacar que a oportunidade aqui destacada é destinada ao Quadro de Engenheiros Militares de 2014/2015 do Instituto Militar de Engenharia.


Caso esteja interessado na oportunidade saiba que o período de inscrições terá início a partir do dia 14 de julho de 2014 e seu fim no dia 1º de setembro de 2014. Para participar do certame é necessário preencher o formulário de inscrição de forma eletrônica, sendo assim, você deve acessar o site oficial do IME. Para que sua inscrição seja efetivada com sucesso é preciso efetuar o pagamento de uma taxa no valor de R$ 95,00.

O certame será composto de duas fases, na primeira delas será aplicada prova objetiva de matemática, física e química. Na segunda fase serão aplicadas três provas discursivas das matérias específicas, que são matemática, química e física, além disso, duas provas mistas de português e inglês também fazem parte da segunda fase.

É importante destacar que os selecionados, ou seja, os aprovados aos ingressar no IME serão matriculados no Curso de Formação de Oficiais da Reserva. O curso é destinado à formação de oficiais subalternos da reserva de segunda classe do Quadro de Material Bélico. Para mais detalhes você pode acessar o edital oficial do concurso clicando AQUI.


Por Bruno Henrique



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *