É preciso que os recursos tenham fundamento, sejam claros e diretos.

Candidatos que prestam concursos públicos têm preservados os direitos de entrar contra recursos referentes aos gabaritos que possam estar incorretos. Além disso, os concurseiros podem questionar pontos do edital, questões, resultados das provas. No edital de cada concurso são disponibilizadas informações para que os candidatos possam formular o recurso, analisar as argumentações e justificá-las.

Para as provas objetivas, o recurso visa alterar o gabarito ou anular a questão. Se for anulada, todos os candidatos recebem a pontuação por aquela questão e se for alterada, a pontuação será atribuída aos concorrentes que escolheram a nova opção. Dessa forma, há a retirada dos pontos dos concorrentes beneficiados pelo gabarito inicial.

Comumente, as bancas determinam prazo de dois dias úteis após a divulgação dos gabaritos para entrar com o recurso. Depois de alterada, o resultado é definitivo e não são mais aceitos recursos. As bancas solicitam que os recursos tenham fundamento, sejam claros e diretos, uma vez que determinadas bancas determinam um limite de caracteres.

O candidato só se identifica quando o recurso é para questões subjetivas. Os pedidos são anulados quando são entregues fora do prazo estabelecido ou com teor desrespeitoso à banca. Evite também questionar a qualidade das questões e tente não afirmar diretamente que ela está errada. O ideal a apresentar a argumentações com humildade.

Evite fazer citações doutrinárias ou legislativas, ao menos que sejam importantes para que o recurso seja aceito. O motivo é a limitação de caracteres exigidos por algumas bancas. Se houver a limitação, contextualize o tema e repita trechos da questão, se for necessário.

Confira o modelo (genérico) abaixo

A questão tem como tema a/ o ___________. O gabarito considerou a afirmativa como correta. Apesar da compreensão estabelecida pela Banca Examinadora, necessita da ponderação de que (ARGUMENTAÇÃO 1). Ademais, (ARGUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR). Dessa forma, necessita de avaliação das ponderações apresentadas, a fim de promover a anulação / alteração de gabarito / questão.

Por Ana Rosa Martins Rocha


Os estudos nos dias de hoje para concursos requer muita disciplina e dedicação, além de paciência, haja vista ser um processo demorado. Contudo, engana-se quem pensa que o concursando só estuda, uma vez que a maioria trabalha, tem filhos e cuida de casa.

É importante lembrar que, esse processo é interligado com outras atividades, além de leituras e vídeos. O momento de descanso diário é muito importante, pois é quando o cérebro ativa algumas zonas neurais de aprendizado.

Uma das fontes de estudo entre concursandos são as redes sociais, porém, para outros ela pode ser um atraso no cronograma, pelo fato de querer ficar no bate papo ou espiar a vida dos amigos. Assim, é importante que ele saiba para qual objetivo está estudando.

O feed de notícias, pode deixá-lo antenado na parte de atualidades. Nas redes Twitter, Linked In e You Tube circulam uma enorme quantidade de informações úteis e que podem cair como uma luva nos seus estudos.

Esses materiais ajudam a fazer associações com o que foi visto nos livros e nas aulas. Alguns grupos só de concurseiros nas redes sociais, podem ser uma mina de ouro, pois a quantidade de troca de informações e materiais de estudos é bem vasta.

De outro modo, alguns estudantes mais radicais optam por se isolar da família e dos amigos e se dedicam integralmente aos estudos. Entretanto, ações extremas podem tirar o ânimo e a força de vontade, haja vista que nenhum ser humano consegue viver isolado e precisa do contato com outros indivíduos.

Para aqueles que gostam de descansar e dar uma esticada nas pernas, as bancas de revistas são excelentes, pois além de ser um passeio rápido, o mantém atualizado. Assim, é bom que o concursando leia de tudo um pouco. Algumas bancas oferecem apostilas interessantes e você também pode conseguir achar um material complementar de qualidade. 

Por Luciana Viturino





CONTINUE NAVEGANDO: